10 de abril de 2016

RESENHA | Jogo Perigoso — Stephen King

Título: Jogo Perigoso
Título Original: Gerald's Game
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 336
Lançamento: 2013
Onde Comprar: Buscapé

Sinopse: 

Solidão, dificuldade de se comunicar e de se locomover e traumas da infância. Estes são os temas fundamentais de Jogo perigoso. Jessie e Gerald estão tendo problemas no relacionamento. Na tentativa de dar nova vida a seu casamento, viajam para uma região isolada no Maine. Mas um jogo de sexo acaba se transformando em prelúdio para uma noite de horror.

Durante o jogo, Jessie é acorrentada à cama, e, subitamente, Gerald morre diante de seus olhos. Está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É nesse momento que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la.

Jogo perigoso, de Stephen King, revela o estilo eletrizante que consagrou este mestre do terror moderno, e faz o leitor mergulhar numa trama fascinante e diabólica.

Opinião:

Jogo Perigo é um livro de terror psicológico onde o monstro habita a nossa mente, nos prega peças e ao mesmo tempo cria vozes manipuladoras, relembra nosso passado pavoroso e secreto, enquanto estamos presos na cama seminus e algemados a espera da morte que pode ser lenta e dolorosa.

O advogado de nome Gerald quer esquentar a relação, então leva sua mulher para a isolada casa de campo do casal. Ao chegar na residência Gerald mostra suas segundas intenções com um par de algemas. Jessie fica meio incomodada com o fetiche do marido, mas acaba cedendo ao pedido. Ele então a algema na cabeceira da cama, começam a fazer um jogo sexual, e quando estão no ápice d e Gerald sofre um infarto.

Jessie tenta chamar o marido que está caído no chão, porém não recebe uma resposta, então é nesse momento que ela percebe que seu marido está morto. A princípio, Jessie mantém a calma e pensa que é só ela pegar a chave que está na cômoda e ligar para a emergência, mas a algema que foi usada para a fantasia sexual se torna sua prisão.
É nesse momento que Jessie entra em pânico, seus medos se tornam realidade, seu passado assustador volta a tona, sua personalidade cria vida, o frio e a fome começam a fazer parte do terror como demônios. Jessie está sozinha, a não ser pelo cadáver de seu marido, um cão raivoso que quer devorar ele e alguém que ela jura ter visto pela janela. Jessie conseguirá se desvencilhar das algemas? Ela irá sobreviver? Essas respostas só serão obtidas com a leitura desse ótimo livro.
"Estou aqui sozinha, meu marido jaz morto no chão. e eu algemada à cama. Posso gritar até ficar roxa e não vai adiantar nada: ninguém vai ouvir. O cara da motoserra é provavelmente quem está mais próximo, e isso são no mínimo uns seis quilômetros de distância. Talvez até esteja na outra margem do lago. O cachorro provavelmente me ouviria, mas é quase certamente um vira-lata. Gerald está morto, o que é uma pena — nunca tive intenção de matá-lo, se é que fiz isso — mas pelo menos foi uma morte relativamente rápida para ele. Não será rápida para mim: se ninguém em Portland começar a se preocupar conosco, e não há nenhuma razão para que se preocupem, pelo menos por ora..."
Stephen King me surpreendeu mais uma vez, me fascinou e, de certo modo, fez aumentar minha adrenalina a cada página. Em alguns momentos eu sofria só por virar a página achando que o fim da personagem pudesse estar ali ou me angustiava com a possibilidade dela não conseguir se libertar. Esse livro recebeu algumas críticas negativas e a nota dele no Skoob não é das melhores, mas acredito que seja pelas expectativas criadas por cima do autor, eles imaginavam uma coisa e talvez se decepcionaram. Gosto é gosto, e eu gostei muito e recomendo.  
O livro possui poucos personagens e é quase todo narrado, tanto em primeira quanto em terceira pessoa, em função de Jessie e dos personagens criados pela sua mente assustada. As cenas também são praticamente todas ambientadas no quarto em que ela está presa.
"A loucura seria um alívio, mas a loucura não vinha. Nem o sono. A morte talvez os antecipasse e a noite, certamente, o faria. Deitada na cama, Jessie só existia numa realidade pardacenta pontuada por ocasionais explosões de dor quando seus músculos entravam em cãibras. As cãibras tinham importância, sua horrível e cansativa sanidade também, mas pouca coisa mais — sem dúvida o mundo fora deste quarto deixara de possuir qualquer significação real. [...]"
A leitura fluiu muito bem, a escrita do autor como sempre é fantástica, o plano de fundo para a história não podia ter saído de outra mente, senão a do mestre Stephen King. O livro recebe

9 comentários:

  1. Adoro a mente sinistra do Stephen King. Porém o único livro que li até agora foi meio que uma decepção, talvez porque escolhi errado e já tinha assistido ao filme, que foi Carrie, A Estranha.
    Esse livro eu não conhecia, porém foi um dos que mais me interessou dele. Achei a sinopse muito sombria. Quero ainda sentir aquele medo em livros de terror, que é um gênero que eu amo de paixão, mas que ainda não funcionou comigo na literatura. Vou apostar nesse.

    Estou com um novo projeto no blog. Passe lá e veja se gosta. Além de que a primeira resenha desse novo projeto saiu hoje. Vou deixar os links aqui se você tiver interesse.
    Abraços!

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/04/novidades-e-sugestoes.html
    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/2016/04/debate-cego.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo comentário, alem desse livro indico O Iluminado e O Cemitério do mesmo autor. Outro do gênero terror muito bom é O Exorcista William Peter Blatty.
      Abraços!!!
      PS: irei visita seu blog

      Excluir
  2. Olá Junior!
    Terminei esse livro com sentimentos conflitantes. Adorei a parte do terror psicologico, que me deixou angustiada em várias passagens, e a narração do ponto de vista do cachorro é brilhante! Mas para mim King derrapa na aparição do homem na porta/carro.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - MEGA SORTEIO DE ANIVERSÁRIO! LANÇAMENTO STEPHEN KING + TIMOTHY ZAHN E RENATA VENTURA AUTOGRAFADOS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou.
      King sempre nos surpreende no incio e meio da historia, porem na maioria da vezes ele meio que escorrega no final.
      Abraços
      volte sempre

      Excluir
    2. Não acho que sejam escorregadas... Acho que ele é otimista nos finais dele, o que é estranho, mas até que é legal :)

      Excluir
  3. Fala Junior!
    Quando se trata de terror psicológico King é mestre em mexer com a nossa mente.
    Já vi também muitos comentários negativos sobre esse livro,mas pense:o livro se passa todo dentro do quarto,com uma protagonista revivendo seus terrores e tentando escapar.Só esse enredo já foi suficiente pra me prender e lógico,King sabe criar personagens e mexer com as emoções como poucos autores.Fiquei curioso pra ver como ele vai conseguir contar essa história.
    Talvez seja o livro dele que mais tenho vontade de ler,apesar de ainda não ter o livro.
    Abraços!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cláudio!!!
      King realmente sabe criar historias incríveis (esse livro não foi uma exerção) e ainda coloca seus personagens em situações imagináveis que faz nossa adrenalina subi, querer consumir todas as paginas de uma vez só para saber o final.
      Assim que conseguir o livro, leia o mais rápido.
      Abraços!!!

      Excluir
  4. Gosto muito do King, acho que ele faz tramas muito interessantes e é capaz de criar os melhores personagens possíveis, mexendo realmente com suas emoções. O problema fica nos finais que ele geralmente dá uma forçada mesmo. Tirando o final da saga da torre negra, que para mim foi fantástico.

    Um abraço.
    naciadelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li a saga torre negra, mas foi muito bom saber que você gostou do final, já que normalmente King decepciona nos finais.

      Abraços!!!
      Volte sempre!!!

      Excluir